yes, therapy helps!
Os 9 tipos de dependência de drogas e suas características

Os 9 tipos de dependência de drogas e suas características

Novembro 28, 2021

O consumo de substâncias com propriedades psicoativas , especificamente de vários tipos de drogas, é um fenômeno muito comum na sociedade atual. Tanto no caso de substâncias legais como ilegais, é relativamente fácil de acessá-las, apesar do grave perigo que muitas delas representam.

O consumo dessas substâncias tende a causar diferentes efeitos no organismo, causando desde a inibição e sedação até extrema excitação passando por alucinações e outros fenômenos perceptivos. Devido aos efeitos que causam, e às vezes a outros fatores, como a reatividade psicológica à sua proibição ou o fato de que seu consumo é socialmente aceito, muitas pessoas passam a consumi-lo com cada vez mais frequência.


Com o tempo, o sujeito adquire tolerância à substância em questão, necessitando cada vez mais de quantidade para alcançar os mesmos efeitos e alcançando uma dependência do medicamento. Devido à alta prevalência de uso e dependência de substâncias, É essencial conhecer os diferentes tipos de dependência de drogas e o processo viciante , que são explicados neste artigo.

O que é uma droga e o que é dependência?

Consideramos uma droga para qualquer substância que antes de sua administração no corpo é capaz de alterar qualquer uma das funções do assunto. Geralmente provocam sensações agradáveis ​​naqueles que os consomem, podendo causar efeitos e danos permanentes no sistema nervoso e podendo produzir tolerância ou habituação física e / ou psíquica a isto e situações de dependência e abstinência antes da cessação do consumo.


Considerar que um medicamento gera dependência é necessário que o sujeito apresente pelo menos tolerância à substância, abstinência antes da cessação de seu consumo, falta de controle no seu uso, dano em áreas vitais devido ao consumo ou ao tempo dedicado a obtê-lo e a continuação do consumo apesar de conhecer seus efeitos adversos. A dependência pode levar a um consumo abusivo que pode causar intoxicação e, na ausência de substância, pode levar a síndromes de abstinência. Tudo isso pode ter sérios efeitos tanto no funcionamento quanto na própria saúde do paciente, o que pode levar à morte.

1. Tipos de dependência de drogas de acordo com o tipo de substância usada

Existem muitos tipos de drogas e substâncias psicoativas, mais utilizadas como ferramenta terapêutica no campo da medicina. . No entanto, uma parte da população usa algumas dessas substâncias recreacionalmente, apesar do perigo que elas podem representar para a saúde.


Embora existam muitas classificações possíveis, pode-se considerar que as substâncias que causam dependência podem ser divididas em três grandes grupos, dependendo do tipo de efeitos que elas exercem sobre o sistema nervoso. Portanto, esses três tipos de substâncias podem criar três tipos de dependência de drogas.

1. 1. Psicolépticos ou depressivos

Estas substâncias são caracterizadas por produzir uma depressão do sistema nervoso, isto é, causando uma diminuição no nível de ativação no cérebro. Condutualmente isto é traduzido por sensações de relaxamento calmo e físico e mental, lentidão, tranquilidade, diminuição do nível de consciência. Neste grupo encontramos álcool, ópio e seus derivados (codeína, heroína e morfina), drogas tranquilizantes (principalmente barbitúricos e benzodiazepínicos) e substâncias voláteis ou inaladas, como cola.

A dependência deste tipo de substâncias é caracterizada pela busca de tranquilidade ou relaxamento de certas funções ou pode até ser devido a efeitos sociais (o álcool facilita a desinibição em algumas pessoas, diminuindo o funcionamento do lobo frontal e inibindo a inibição).

1. 2. Psicanalistas ou excitadores

Este tipo de substâncias é caracterizado por produzir um aumento na ativação do sistema nervoso , produzindo mudanças no comportamento, como aumento da excitabilidade, ativação motora, distração e aumento do nível de consciência. Dentro desta tipologia de substâncias são cocaína, anfetaminas, xantinas (entre as quais encontramos substâncias como café, chá e chocolate, embora seus efeitos sejam comparativamente mais baixos do que os do resto) e nicotina.

Indivíduos viciados neste tipo de substância buscam um aumento na atividade e sensações, bem como um aumento na energia.

1. 3. Psychodisleptics ou perturbando

Este terceiro grupo de substâncias é caracterizado por modificar a atividade do sistema nervoso, pode produzir ativação ou inibição e, principalmente, afetar a percepção . É comum que eles produzam enganos perceptivos, como alucinações e delírios. Os componentes mais conhecidos desse tipo de substância são cannabis e alucinógenos, juntamente com outros elementos, como a fenciclidina (inicialmente usada como anestesia na cirurgia).

As pessoas que consomem essas substâncias geralmente vão em busca de novas experiências perceptivas e fenômenos alucinatórios, ou de um aumento ou diminuição na ativação (por exemplo, a cannabis é caracterizada por efeitos analgésicos e relaxantes).

2. Tipos de dependência de drogas de acordo com o tipo de dependência

Independentemente do tipo de droga consumida, as substâncias psicoativas atuam no organismo e com o tempo isso se acostuma a sua presença , assim como o sujeito consumidor se acostuma e acaba precisando dos efeitos que a substância tem sobre ele. Esse consumo faz com que o sistema nervoso comece a funcionar de maneira diferente, adaptando sua atividade à expectativa de que cada vez consumirá mais.

Nesse sentido, podemos descobrir que uma substância pode causar dois tipos de dependência, física e psiquicamente.

2. 1. Dependência física

Esse tipo de dependência sempre ocorre em conjunção com a dependência psíquica . A dependência física vem da habituação do organismo à presença da substância, exigindo-a para manter o funcionamento habitual ao qual o corpo se acostumou e produzindo sua ausência de alterações físicas como alterações gastrointestinais, convulsões, vômitos ou dores de cabeça.

É o tipo de dependência que pode causar a morte nos processos de abstinência, sendo necessário evitar que a cessação do consumo ocorra de forma gradual e controlada.

2. 2. Dependência psíquica

Dependência psíquica é um elemento da dependência de drogas que influencia a busca incessante pelo consumo devido à necessidade de manter o estado alcançado com o consumo da substância e evitar os efeitos adversos do processo homeostático, uma vez que seus efeitos tenham passado. É um tipo de dependência mediada por expectativas e costumes.

Por exemplo, substâncias como a cannabis podem gerar uma alta dependência psíquica, já que muitas estão associadas a um grupo de amigos, uma atividade a ser realizada em tempo livre e até uma imagem pública que se quer dar.

3. O processo de dependência e dependência

Tendo em conta o tipo de consumo, pode-se considerar a existência de três fases no processo de dependência . Embora seja discutível que todos eles sejam tipos consideráveis ​​de dependência de drogas, eles têm características comuns e envolvem um processo que pode levar a uma dependência real de substâncias. É importante detectar os primeiros sinais de dependência do medicamento para evitar problemas piores no futuro.

3. 1. Consumo ocasional

Consideramos consumo ocasional a administração de uma substância em situações particulares não muito comuns, em um contexto em que não há um consumo muito prolongado no tempo nem é apresentado desejo desejo compulsivo de consumo. Esta fase não é geralmente considerada como dependência de drogas porque o indivíduo não apresenta uma dependência contínua de uma substância ou geralmente a procura com ansiedade.

No entanto, pode ser considerado como um tipo de dependência de drogas se for abusivo quando o consumo é feito e se apesar de não ser muito frequente este consumo se repete no tempo e quando ocorre pode gerar falta de controle. Por exemplo, alcoólatras do tipo Epsilon são caracterizados por embriaguez excessiva e problemas comportamentais, embora seu consumo não seja usual.

3. 2. Situações de abuso de substâncias

Com o passar do tempo, o consumo de substâncias pode levar a situações de abuso destes , em que a tomada da substância é feita cada vez com mais frequência e em situações de vários tipos, tendo tolerância e desejando consumi-la.

Apesar disso, o desejo de consumo ainda não está presente a um nível descontrolado e compulsivo, podendo passar sem a sua presença. Não é considerado ainda dependência, mas se não for controlado pode se tornar isto.

3. 3. Situação da toxicodependência

A última fase do processo viciante, em pessoas com dependência de drogas, o uso da droga é compulsivo, apresentando abstinência em sua ausência e perdendo muito do controle de seu consumo , causando um claro dano em áreas como trabalho, social ou acadêmico.

4. De acordo com o número de substâncias das quais uma é viciada em drogas

Todas essas classificações levam em conta a dependência de drogas com base em vários critérios, como as fases de dependência, o tipo de substância ou o tipo de dependência que geram, mas há mais um elemento a ser levado em conta.

E é que é possível que a situação da toxicodependência ocorra antes de uma única substância , mas também foi observado que em alguns casos o mesmo indivíduo pode tornar-se viciado em mais de um tipo de substância, acumulando os efeitos do vício em um fármaco e "projetando-o" na dependência para outro. Para isso, mais um tipo de dependência de drogas a considerar é o seguinte.

4. 1. Politoxicomania

Este tipo de dependência de drogas refere-se aos sujeitos que têm dependência de uma substância estão fazendo o consumo de outro, geralmente devido à escassez e dificuldade no momento da aquisição do primeiro.

Assim, a segunda substância também se torna viciante para o sujeito , embora ele não tenha abandonado seu vício para o primeiro medicamento.

Normalmente, a polioxicoxia é parcialmente devida à propensão à impulsividade que geram vícios. Uma vez que você começou a consumir um, é muito mais fácil começar o consumo de outro, já que você aprende um padrão de comportamento que leva a guiar todos os vícios à experimentação de um "pico" de prazer que mitiga os efeitos. de abstinência.

Referências bibliográficas:

  • Associação Americana de Psiquiatria. (2013). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Quinta edição. DSM-V. Masson, Barcelona.
  • Belloch, Sandín e Ramos (2008). Manual de psicopatologia. Madri MacGraw-Hill (vol 1 e 2). Edição revisada.
  • Kirby, K. C., Marlowe, D. B., Festinger, D.S., Lamb, R.J. e Platt, J.J. (1998). Cronograma de entrega de vouchers influencia o início da abstinência de cocaína. Jornal de Consultoria e Psicologia Clínica, 66, 761-767.
  • Santos, J.L; García, L.I .; Calderón, M.A. Sanz, L.J; de los Ríos, P; Esquerda, S. Román, P; Hernangómez, L; Navas, E. Ladrão, A e Álvarez-Cienfuegos, L. (2012). Psicologia clinica. CEDE Preparation Manual PIR, 02. CEDE. Madri

ALCOOLISMO: SINAIS DE DEPENDÊNCIA E ABSTINÊNCIA (Novembro 2021).


Artigos Relacionados