yes, therapy helps!
O método de Marie Kondo: ordene sua vida e sua mente

O método de Marie Kondo: ordene sua vida e sua mente

Dezembro 7, 2022

O método de ordem da japonesa Marie Kondo se tornou um fenômeno mundial através de seu interessante livro The Magic of Order.

O jovem especialista explica: "Acreditamos que, quando armazenamos algo, colocamos coisas que não precisamos em um armário, gaveta ou prateleira, no entanto, isso é uma ilusão. No longo prazo, os lugares onde armazenamos o que não queremos estarão cheios demais e novamente o caos aparecerá. "

Marie diz que a verdadeira organização começa com a eliminação , e relaciona isso a uma transformação que vai além do físico: "Organizando seu espaço de vida e transformando-o, a mudança é tão profunda que parece que você vive em um lugar diferente".


A relação entre ordem e bem-estar

Esta semana, Sònia Algueró Diretor Técnico do Instituto de Assistência Psicológica e Psicológica, Mensalus, compartilha a essência do Método Marie Kondo e abre uma reflexão sobre o "deixar ir".

O que o Método Konmari revela?

O pilar fundamental do método Konmari (um jogo de palavras baseado no nome do criador) baseia-se em descartar o desnecessário e manter apenas o essencial que nos faz felizes. Marie explica que, desfazer fisicamente coisas que não queremos, posteriormente, facilita o estabelecimento de limites para o que não nos satisfaz.

As pessoas acumulam objetos sem considerar o significado que têm para nós no presente momento. A maioria, possivelmente, exerceu sua função no passado, mas, que papel eles desempenham agora? Para este autor bem-sucedido, o descarte libera-nos da carga e nos deixa com energia para o presente.


Existe um paralelo entre nossos pensamentos atuais e passados, comportamentos e emoções. Muitos anos atrás, muitos tiveram uma função em nossas vidas que, até hoje, deixou de existir. E não é só isso. Sua presença no agora nos descentraliza e gera confusão (entre o que pensamos - sentimos), fazendo com que nos afastemos de nossa verdadeira essência.

Marie Kondo e seu método para alcançar maior bem-estar

Qual é a relação entre organização física e organização mental?

Organizar-nos fisicamente tem um efeito direto na organização mental e no planejamento de metas. Focalizar a atenção e energia em direção a um objetivo anda de mãos dadas com a libertação que mencionamos.

Da mesma forma, o autor japonês explica que colocar as coisas em ordem também significa colocar o seu passado em ordem. É algo como reajustar a vida e "fechar capítulos" para dar o próximo passo. De fato, se pensarmos sobre isso, fechar caixas e fechar estágios tem muito em comum: em ambos os casos, removemos de vista o que nos impede e rouba espaço.


Deixar para trás estágios e integrar o sentido que para nós teve, além de reconhecer o que tem contribuído para nós e já faz parte de nós, nos permite avançar em direção ao nosso eu mais essencial.

Como decidimos descartar?

O método propõe deixar de lado o critério de uso ou função, para entrar em algo mais profundo: "esse objeto, o que me faz sentir?".

Em primeiro lugar, não é uma pergunta fácil de responder, uma vez que é algo que normalmente não consideramos. Tente é revelador, eu convido você para isso. Quando questionamos se esse objeto nos faz vibrar, quando expressamos a emoção que ele nos transmite, é então que começamos a sentir a decisão em vez de apenas pensar. Esta informação é o que valida ou invalida a remoção do objeto.

Se finalmente decidirmos descartá-lo, uma maneira interessante de dizer adeus é agradecendo o serviço que ele ofereceu. Assim, reduziremos a ansiedade gerada pela eliminação de nossos pertences.

Então, o primeiro passo é investigar e juntar tudo o que temos na mesma categoria (roupas, livros, papéis, etc.) para fazer a escolha. Ser capaz de dizer: "Eu não quero mais, já exerceu sua função, agora não é o que eu preciso" é um ótimo exercício, dado que seu efeito não termina aí; tem um impacto no resto dos aspectos vitais.

Em um nível psicológico, esse processo pode ser reproduzido focando a atenção em nosso eu mais profundo. É útil e revelador perguntar se esse pensamento ou comportamento que nos propomos descartar, nos faz sentir bem ou, ao contrário, nos bloqueia e não nos permite avançar.

Da mesma forma, é especialmente interessante questionar se existe coerência entre o que pensamos ou fazemos e o que sentimos quando pensamos ou fazemos. Desta forma, nossas emoções nos guiarão para nossas necessidades mais genuínas.

É fácil dizer: "Eu não quero isso para a minha vida"?

Muitas vezes é mais complicado do que parece. Nós não somos treinados para deixar ir, apenas o oposto.Reeducar a mente neste sentido através de elementos físicos, facilita os aspectos de "liberação" da nossa vida indesejados: um relacionamento, uma tarefa, uma prática / hobby, um trabalho, etc. O peso da obrigação muitas vezes ofusca a capacidade de auto-escuta.

Dito isso, é preciso coragem e determinação para estabelecer limites e afastar-se dos medos que nos paralisam e que nos distanciam de nosso eu essencial. Por esta razão, encorajo-vos a responder: "O que eu realmente quero / preciso neste momento da minha vida?"

O que você diria para todas as pessoas que estão lendo esta entrevista?

Introspectivamente falando, acumulando pensamentos e comportamentos anacrônicos leva a um bloqueio do essencial, submergindo-nos em confusão e desconforto.

O Método Konmari se reconecta com o sentido das coisas que nos cercam e aproxima a pessoa de um "click" que, até agora, era caro. No final, o resultado é muito simples: "Pegue o que quiser e deixe de lado tudo o que, agora, não tem mais significado para você".


Ordena tu casa para ordenar tu vida por Lucía Terol (Dezembro 2022).


Artigos Relacionados